• Ajude-nos a Alimentar as Famílias de Portugal
quinta-feira, 06 junho 2024 18:21

Evento Internacional da Rede Action for Trafficked People Network decorreu no Palácio Conde d'Óbidos

 

Entre os dias 3 e 5 de junho, o Palácio Conde d'Óbidos, sede da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), acolheu um importante evento internacional da Rede Action for Trafficked People Network (ATN). Este encontro contou com a participação de representantes de 11 Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha da Europa e Austrália, além de representantes do Centro para a Cooperação do Mediterrâneo da Cruz Vermelha, do escritório da União Europeia da Cruz Vermelha e da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV).

Os atuais co-chairs da ATN são a Cruz Vermelha dos Países Baixos, a Cruz Vermelha Italiana e a Cruz Vermelha Britânica. A Cruz Vermelha Portuguesa tem representação neste grupo através da Área de Relações Internacionais e Juventude CVP e trabalha nacionalmente na área de sensibilização sobre tráfico de seres humanos (TSH), transporte urgente de vítimas após sinalização (ACNE) e atendimento psicossocial no norte do país.

Realizado a cada 18 meses, o evento reuniu especialistas e técnicos dedicados a combater o tráfico humano e proteger os sobreviventes. A ATN, criada em 2004, é uma rede aberta a todos os membros da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, com o objetivo de reduzir o fenómeno do tráfico humano. Promovendo iniciativas na área de prevenção, proteção e assistência, a rede facilita a partilha de conhecimento e boas práticas entre os técnicos das diferentes Sociedades Nacionais.

A ATN acredita que, através do trabalho com pessoas vulneráveis e em situações de emergência, as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha devem tomar ações para responder e mitigar os riscos de tráfico de seres humanos. Estas ações incluem a prestação de primeiros socorros, apoio psicológico, assistência jurídica, assistência material e social, além do reencaminhamento para outras entidades especializadas. A identificação de pessoas em risco de tráfico também é crucial, sendo realizada através de mecanismos de referência específicos.

Durante o encontro, houve um foco especial no tráfico de seres humanos para fins de criminalidade forçada e na resposta ao conflito na Ucrânia. A troca de experiências e estratégias sobre estes tópicos foi fundamental para aprimorar as respostas humanitárias.

No dia 3 de junho, um painel de convidados externos falou sobre o contexto do fenómeno de TSH em Portugal. O Dr. Manuel Albano, Vice-Presidente da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG) e relator de TSH na Europa, abordou a perspetiva da execução de políticas públicas; Marta Pereira, coordenadora nacional das respostas de TSH da APF – Associação para o Planeamento Familiar, apresentou o ponto de vista da sociedade civil; e o Inspetor Chefe da Diretoria Norte da Polícia Judiciária, Sebastião Sousa, discutiu o tema numa perspetiva de criminalidade.

 

Diana Lopes, da Área Internacional da CVP, destacou a importância deste evento: "A partilha de conhecimento e boas práticas num tópico como o tráfico de seres humanos é vital para a Cruz Vermelha Portuguesa e o Movimento Cruz Vermelha e Crescente Vermelho. Fortalecer as nossas relações e capacitar a resposta nacional nesta área é essencial para lidarmos com esta problemática complexa e de grande componente internacional. Estamos comprometidos em melhorar continuamente as nossas estratégias e ações para proteger os mais vulneráveis".

 

Este evento reforça o compromisso da Cruz Vermelha em combater o tráfico humano, promovendo a cooperação internacional e a capacitação de suas respostas para enfrentar este desafio global.

 


Partilhar
Powered by jms multisite for joomla